Para quem estava com o planejamento de marketing fechado em 2020, a mudança de cenário que ocorreu por conta do Covid-19 causou muitas incertezas, e mostrou que mesmo com uma grande preparação, não dá para prever tudo. 

Além das movimentações no mercado, o consumidor também passou a cobrar posicionamento das marcas em prol de um bem maior: o social. Este cenário conturbado fez com que houvesse uma movimentação acelerada para entender como cada segmento poderia contribuir com a situação, e consequentemente, essa decisão acabou se mostrando um divisor de águas no consumo atual e futuro

A partir de alguns exemplos já colocados em prática e de um panorama do mercado, é possível ter insights e entender como as empresas têm modificado seu comportamento e focado em agir pela sociedade durante a crise.

Veja quais as principais preocupações do público e conheça alguns projetos que têm chamado atenção e feito a diferença! 

Ouvir o consumidor é importante

A pandemia de coronavírus é um problema de dimensões gigantescas, e se não estava claro para o Brasil o quanto isso poderia afetar não só o dia a dia da população, como também a forma como ela se comporta por um longo período, a realidade chegou para todos entre os meses de março e abril. 

O Kantar, portal especializado em coleta de dados e insights, realizou uma pesquisa com o intuito de entender o impacto da quarentena nas marcas e no comportamento de consumo. Através dela, é possível tirar conclusões importantes para planos de ação durante a crise, e compreender o que se espera das empresas neste período:

Fonte: Kantar

Em linhas gerais, o consumidor espera um posicionamento das marcas, e quer ver como elas estão contribuindo durante a crise, seja através de sua política com relação aos funcionários, sua forma de contribuir com a sociedade, ou suas atitudes para com o próprio cliente.

Quem compra quer saber

A América Latina é uma das regiões mais atentas quanto ao coronavírus, e essa preocupação se reflete na forma como a população consome. Desde a programação na TV ou internet, até as compras propriamente ditas, todos os hábitos mostraram sofrer alterações consideráveis. 

Segundo dados do Google, a forma como as pessoas pesquisam também mudou, o que quer dizer que mesmo o consumidor que não estava habituado com a sua marca, está muito mais apto a conhecê-la a partir de uma postura adotada durante o contexto do Corona.

Adaptação e cuidado

1. 99 Táxi

A 99 táxi tomou medidas de segurança e proteção em prol dos motoristas e passageiros. Em parceria com a Aurratech, iniciou um projeto de higienização gratuita de carros dos motoristas parceiros do app, através de uma tecnologia chamada Fog in Place. Além de rápido, o procedimento garante a duração do efeito por até 72 horas.

Além disso, a empresa se comprometeu com um fundo financeiro para auxiliar os motoristas que forem impossibilitados de realizar corridas, seja por diagnóstico positivo para o Covid-19, ou afastamento médico durante o período de quarentena. 

Conheça melhor as ações da empresa através do blog corporativo.

2. OYO 

No setor de hotelaria, a OYO está com quartos abertos para os profissionais da saúde. Através da apresentação de um documento de identificação profissional, é possível realizar reservas em cidades e hotéis participantes de forma gratuita. Outro ponto positivo é que os hotéis selecionados se localizam nas proximidades de hospitais, e a ligação para agendamento também é de graça.

Protagonismo e investimento

1. Burger King

Com mais de 900 restaurantes no país, além de se atentar para a segurança dos colaboradores e clientes, redobrando a higienização, o Burger King também decidiu destinar parte de sua receita líquida obtida até o mês de março ao SUS, o principal órgão afetado pela pandemia. 

2. Ambev

Em sua campanha intitulada “Juntos à distância”, a Ambev vem realizando diversas ações desde o início da crise no Brasil. A marca utilizou o etanol das cervejarias para produzir 1 milhão de unidades de álcool gel para distribuição entre unidades de saúde, participou de uma parceria com a Prefeitura de São Paulo, a Gerdau e o Hospital Albert Einstein, para ampliar em 100 leitos o Hospital do M’boi Mirim em tempo recorde, e produziu 3 milhões de máscaras de cobertura para todo o rosto para doação aos profissionais da saúde. 

Entre as diferentes marcas de cerveja pertencentes ao grupo, ações em prol de bares foram realizadas, e os e-commerces se adaptaram para melhor atender as necessidades dos clientes. Entenda melhor cada uma das ações da Ambev aqui.

Toda atitude é bem-vinda

É verdade que atitudes grandiosas ganham notoriedade diariamente. Elas também são de extrema importância para ajudar a sociedade a passar pelo momento de crise de forma mais branda, porém, isso não significa que pequenas atitudes não sejam bem-vindas.

O principal ponto a se atentar é que há uma necessidade de adesão a atitudes empáticas durante esse período difícil, e a dimensão dessas atitudes pode variar de acordo com o alcance do seu negócio

Pequenas empresas que prezam por seus funcionários e consumidores já estão garantindo uma comunicação assertiva, e se é possível fazer mais dentro do seu nicho ou comunidade, vale à pena adaptar seus esforços em prol do cuidado com quem consome seu produto. 

Conhece outras atitudes legais para compartilhar? Conte nos comentários, e continue acompanhando os conteúdos semanais sobre Covid-19 e o mercado.