Contar histórias permitiu que as pessoas entendessem o mundo e extraíssem significado de todos os acontecimentos de suas vidas desde o início da história humana. As técnicas e métodos de entrega de uma boa narrativa podem ter mudado desde então, mas o poder do storytelling para nos mover e provocar um sentimento de conexão entre nós permaneceu!

Atualmente o storytelling geralmente é explicado como uma arte. Como muitas vezes acontece, ainda há quem acha que não se aprende uma arte. No storytelling, esse não é o caso!

Como profissional, desenvolver suas habilidades de contar histórias requer prática, mas existem métodos que vão te ajudar bastante nessa missão.

Pensando nisso preparamos este artigo, veja agora o que é, como fazer um bom storytelling e as vantagens das boas histórias para seus resultados!

O que é Storytelling?

Primeiramente, storytelling é um termo em inglês que significa, literalmente, contar histórias.

Já sobre o significado, storytelling é o processo de usar fatos e narrativas para comunicar algo ao público. Algumas histórias são factuais e outras são criadas, melhoradas ou improvisadas para explicar melhor a mensagem central. 

Nos negócios, o storytelling é utilizado como técnica para entregar melhores mensagens para o consumidor e demais públicos da empresa. É sempre importante aplicar esse conceito a mensagens publicitárias, no relacionamento com os consumidores e até nas comunicações internas.

Processo de fatos e narrativas

A importância do Storytelling para marcas

O storytelling tem o poder de envolver, influenciar, ensinar e inspirar os ouvintes. É por isso, antes de mais nada, que as organizações devem criar uma cultura de contar histórias e usar esse conceito em todas as suas estratégias. 

Internamente, as histórias ajudarão a fortalecer o ambiente e manterá colaboradores mais engajados. Para os negócios e especificamente o marketing, os resultados podem ser ainda mais expressivos.

De acordo com uma pesquisa do Headstream, 55% das pessoas consideram comprar de uma marca se conhecem a história dela. Além disso, 44% compartilharão essa história com outras pessoas e 15% comprarão o produto imediatamente.

Como fazer um bom Storytelling

Integração do Storytelling com outros elementos

1. Definir os parâmetros

Sua história deve ser envolvente. Mas se não tiver um foco claro, você perderá rapidamente a atenção dos consumidores. Por isso, é imprescindível estabelecer o contexto logo de cara.

Para começar a fazer um bom storytelling, responda às seguintes perguntas:

  • Quem está contando a história?
  • Por que a história está sendo contada?
  • Quando e onde a história está acontecendo?
  • Quem são as pessoas da história?
  • O que as pessoas estão tentando alcançar?
  • Quais são os desafios enfrentados?

Esses parâmetros ajudarão a desenvolver uma história envolvente que faça sentido para o seu público. Defina o cenário para que os consumidores saibam exatamente do que você está falando. Mais importante ainda, estabeleça o motivo pelo qual você está contando essa história a eles. Isso guiará o público pela narrativa e os ligará até o final.

2. Seja autêntico

Uma narrativa autêntica é a chave para ganhar a confiança do consumidor. Não tente enganar o seu público com uma história exagerada. Os clientes sabem quando você tenta enganá-los e eles não gostam disso.

A história da sua empresa, por exemplo, não precisa ser elaborada. Na verdade, se sua empresa não tem uma história impressionante, sua história não deve tentar criar uma. 

Portanto, uma narrativa genuína tem mais probabilidade de se conectar com os consumidores do que uma que seja claramente manipulada.

A transparência celebra sua singularidade e reconhece o aspecto humano de sua marca. Reconheça que as coisas nem sempre são fáceis, mostrando seus próprios desafios e falhas. Isso cria uma conexão emocional,bem como revela características do almirante, como inovação e resiliência.

Você pode querer adotar uma abordagem de “livro aberto” para se comunicar com os clientes. Explique como as coisas são feitas em sua empresa. Por exemplo, uma restaurante pode contar a história de como os pratos são montados, explicando a origem da receita, as particularidades de cada ingrediente, entre outros elementos.

São detalhes como esse que podem fazer com que o consumidor se interesse por sua marca e crie algum tipo de proximidade.

3. Tenha um resultado claro

Uma ótima história deixa seu público mais próximo da mensagem que foi passada. Que lição foi aprendida na história e o que os consumidores devem aprender ao ouvi-la?

As histórias de negócios, em especial, devem ter um resultado claro. Portanto, forneça uma mensagem esperançosa e instigante com pontos acionáveis ​​que obriguem seu público a se conectar com sua marca.

A história, de forma geral, dá uma ideia de quem somos e de onde viemos. O resultado desperta confiança em nossas ofertas e valores. Você pode usar os resultados da vida real da sua empresa para transmitir uma mensagem aos seus clientes.

4. Seja consistente

Uma história desorganizada deixa os clientes confusos e desinteressados. Dessa forma, certifique-se de que sua marca seja consistente em todos os canais de comunicação. Use as mesmas cores, logotipo e slogan para materiais online e offline. A repetição de imagens e termos associados ao seu negócio cria o reconhecimento da marca.

Eventualmente você precisa ser consistente ao falar sobre seu produto, serviço ou diferencial. A narração de histórias de negócios requer prática. Conheça a história por dentro e por fora antes de apresentá-la aos clientes. Isso o ajudará a contar os fatos naturalmente.

5. Envolva os clientes

Use uma boa narrativa para estabelecer uma conexão emocional com os clientes. Fale sobre como um evento relacionado ao seu negócio o afetou e o que você aprendeu. Isso cria uma resposta imediata que torna sua história memorável e compartilhável.

As pessoas gostam de fazer parte dos processos. Seus clientes podem ser personagens de sua marca – encontre maneiras de envolver seu público.

Contar a história da sua marca de forma que gera valor é um processo contínuo. A cada dia, sua empresa cresce, muda e adiciona novos capítulos à sua história. Faça da narrativa de negócios uma parte essencial de suas operações para atrair e reter clientes.

Principais elementos de um bom storytelling 

É difícil classificar uma história como boa ou ruim. Afinal, a opinião que importa para validar o conteúdo do storytelling é a do público ou cliente. 

Ainda assim, existem alguns componentes essenciais que contribuem para a construção de uma narrativa, tanto para o leitor quanto para o narrador. Uma boa história, portanto, deve ser:

  • Divertida e envolvente – boas histórias mantêm o leitor envolvido e interessado no que está por vir.
  • Educativa: boas histórias despertam a curiosidade e, ao mesmo tempo, estimulam e aumentam o conhecimento do leitor.
  • Universal: boas histórias podem ser entendidas por todos os leitores e exploram as emoções e experiências pelas quais a maioria das pessoas daquele público passa.
  • Organizada: boas histórias seguem uma organização sucinta que ajuda a transmitir a mensagem central e ajuda os leitores a absorvê-la.
  • Memorável: seja por inspiração, pela surpresa, curiosidade ou humor, boas histórias ficam na mente do leitor depois de serem ouvidas!

Exemplos de marcas que fazer um bom Storytelling

Marcas líderes em seus respectivos segmentos sabem muito bem como usar a arte do storytelling e gerar valor a partir disso. Separamos alguns exemplos abaixo para você se inspirar e tomar como referência. Confira!

Itaú

Há alguns anos o Itaú vem utilizando uma imagem e comunicação mais humanizada. A intenção da marca com isso e posicionar o banco como um “amigo” do cliente, que se importa com os problemas e conquistas do cliente, e não apenas como uma instituição financeira tradicional.

Para transmitir essa mensagem ao público o Itaú explorou uma série de comerciais/ anúncios que possuíam gatilhos emocionais, gatilhos que despertam os mais variados sentimentos humanos. 

Cola-Cola

Falar de marcas que fazem storytelling e não citar a Coca-Cola é quase impossível – a empresa sabe desenvolver muito bem histórias que “mexem” com o público. 

Por exemplo, um clássico modelo de storytelling são os famosos comerciais de fim de ano que a Coca-Cola produz, especificamente no natal. A empresa utiliza essa data que é marcada pelos encontros familiares para transmitir ao público uma mensagem de união, amor e gratidão – valores que a empresa julga importante para as pessoas. 

Heineken

A Heineken utilizou o poder do storytelling para desconstruir uma falsa imagem que a sociedade criou ao longo dos anos – a de que mulher, futebol e cerveja não combinam. 

Para provar o contrário, a marca explorou uma história um tanto quanto descontraída para 

transmitir a mensagem de que as mulheres podem fazer o que bem desejarem, como assistir a final da maior competição de futebol do mundo, a Champions League. 

E o melhor de tudo, o comercial nem citou a palavra cerveja! Ou seja, a Heineken conseguiu promover seu produto através de uma história.

Dicas valiosas para um bom Storytelling

Cada história é única. Por isso, na hora de criar a sua, considere o contexto e tudo que envolve a mensagem que você precisa passar. Para guiar essa tarefa, porém, existem também algumas dicas universais para não esquecer:

O que fazer 

  • Considere o seu público – escolha uma estrutura e detalhes que falem melhor com seus ouvintes. Afinal, sua empresa deve conhecer bem o público para começar, certo? Lembre-se sempre que uma mensagem que não é compreendida perde totalmente o seu valor.
  • Identifique a moral ou mensagem que você deseja transmitir. Nenhuma história é contada apenas por contar. Especialmente nos negócios, você deve partir de um objetivo.
  • Encontre inspiração em suas experiências de vida. Considerando que você seguiu as duas dicas anteriores, essa será mais fácil de colocar em prática. Para se conectar com o seu público e passar a mensagem corretamente, inclua elementos da sua própria experiência. Assim, seu público poderá se identificar mais com você e, consequentemente, com sua história.

O que não fazer

  • Dar a si mesmo o papel de protagonista. Você acabou de ler uma dica sobre utilizar as suas experiências e incorporá-las nas histórias. Tenha cuidado ao fazer isso, pois a história não é sobre você. Não se dê o papel de herói, pois isso pode passar pretensão demais para o público e afastá-lo da sua mensagem.
  • Sobrecarregar sua história com detalhes desnecessários. Fazer um bom storytelling não é sobre tentar enriquecer histórias com detalhes demais. Siga uma estrutura lógica, acrescente elementos importantes para sua mensagem mas não deixe-a cheia de detalhes que não acrescentam para seu objetivo.

Agora que você chegou até aqui, é hora de colocar em prática as técnicas de storytelling para criar histórias poderosas sobre você sua marca. Ao fazer isso, lembre-se que o objetivo do storytelling, especialmente aplicado aos negócios, é gerar valor para sua marca.

Para continuar aprendendo a gerar valor, leia também nosso artigo sobre brand equity e veja como fazer isso na prática.

Escrito por:

Gabriel Macedo Ribeiro

Especialista de Conteúdo na Raccoon, tetracampeã do prêmio de Melhor Agência de Marketing de Performance do Brasil pela ABComm (2015, 2016, 2017 e 2018) e melhor da América Latina no Google Premier Partner Awards.

Comentários