Se você ainda acha que games são apenas brincadeira de criança, é hora de se atualizar. Os jogos digitais já representam um grande mercado, que atrai não apenas usuários e jogadores profissionais de todas as idades, mas também grandes marcas que já estão atentas no chamado: game marketing.

O game marketing aproveita o poder de engajamento dos jogos para introduzir as marcas de forma relevante no universo dos gamers. Não se trata de fazer uma publicidade invasiva ou insistente, mas de unir a marca às emoções do jogo e agregar valor a essa experiência.

Neste artigo, vamos falar mais sobre o game marketing para que você possa entender como essa estratégia pode entrar nos seus planos de marketing. Acompanhe!

O que é o game marketing?

Game marketing é o conjunto de estratégias de divulgação de marcas, produtos e serviços por meio de jogos digitais. Além disso, é uma forma de melhorar o relacionamento com os consumidores que, em geral, possuem as mesmas características e interesses do público que consome o jogo.

Existem diversos formatos de marketing de jogos que as empresas estão explorando: pode ser por meio da criação de games próprios da marca, inserção de banners no cenário do jogo, patrocínio de campeonatos, entre outros.

O que importa é aproveitar um mercado que gera grande envolvimento e que não para de crescer. De acordo com a Pesquisa Game Brasil 2022, três em cada quatro brasileiros jogam games no Brasil. A maioria do público é formada por mulheres (51%), além de 49% que se identificam como pardo ou preto, seguidos por 46% que se declaram brancos.

Além de outros diversos dados que a pesquisa traz e que valem a pena conferir, é interessante saber que 76,5% dos entrevistados consideram que jogos eletrônicos são sua principal forma de entretenimento. Portanto, o game marketing pode aproveitar um momento de diversão e descontração das pessoas para inserir a marca nesse universo.

Não confunda game marketing com advergame

Para entender o que é game marketing, também é interessante diferenciá-lo do conceito de advergame. Esses termos são muito próximos, mas não se confundem.

O advergame é um jogo criado por uma empresa para promover a sua própria marca, como um tipo de publicidade. Já o game marketing reúne diferentes estratégias de divulgação e relacionamento por meio de jogos — entre elas, o advergame. A seguir, você vai conhecer alguns dos diferentes formatos de game marketing que existem.

Formatos de game marketing

Game marketing é um conceito mais abrangente, que reúne todos os tipos de divulgação da marca por meio de jogos e de relacionamento com os gamers. Existem diferentes formatos e estratégias para unir games e marketing e ter resultados interessantes. Veja agora algumas possibilidades:

Advergames

O advergame é um tipo de jogo criado pelas empresas para promover sua própria marca, produtos e serviços. O termo mistura as palavras “advertising” + “game”, ou seja, uma publicidade em forma de jogo.

A intenção é que o jogador mergulhe no universo de referências e valores da marca, sem necessariamente perceber que aquilo é marketing. Trata-se de um tipo de branded content, que é um conteúdo criado pelas marcas, mas em um contexto em que elas não são protagonistas — o protagonismo é da narrativa que aquele conteúdo conta.

Um exemplo de Advergame é jogo Pepsiman, desenvolvido para Playstation 1 em 1999. Você pode ver um trecho desse jogo no vídeo abaixo.

Incoporar: Pepsiman Gameplay (Final Stage) [PSX]

In-game advertising

O advergame pode ser entendido como o oposto do in-game advertising, que significa a inserção da marca dentro dos games, reunindo também outras marcas nessa realidade virtual.

O in-game advertising pode acontecer de diferentes formas, como:

·        A inserção de banners no cenário do jogo, como se fossem outdoors nas ruas;

·        O uso de produtos da marca pelos personagens do jogo;

·        A presença de lojas da marca no cenário do jogo.

Em 2012, o rapper Wiz Khalifa lançou sua turnê Wiz Khalifa 2050, com anúncios em tempo real que apareciam em jogos de Xbox e PS3.

Anúncio da turnê

Patrocínio de eSports

O patrocínio de eSports é uma grande potência no marketing de jogos atualmente. Esse formato consiste em patrocinar campeonatos, equipes ou atletas.

Se a marca patrocina um evento, ela pode aparecer nos materiais de divulgação ou no uso de produtos durante a realização do campeonato. Se patrocinar equipes e atletas, eles podem estampar a marca nos seus uniformes ou divulgar nas suas redes sociais, por exemplo.

Considerando a amplitude que esses campeonatos alcançam, as marcas tendem a ganhar grande visibilidade com esse tipo de estratégia.

A RedBull é uma das empresas que se associam muito com jogos diversos e soube usar muito bem esse tipo de divulgação com o League Of Legends Championship Series, criando o campeonato Red Bull Solo Q, que aconteceu em 2021.

Evento do campeonato Red Bull Solo

NFTs

NFTs são tokens não-fungíveis (non-fungible tokens). Eles são criados por meio de blockchain para registrar ativos digitais com códigos únicos, que garantem a sua propriedade e autenticidade. Trata-se de uma nova forma de registrar transações no universo digital.

Mas o que isso tem a ver com game marketing? Na realidade virtual que os jogos criam, algumas marcas já estão colocando ativos à venda por meio de NFTs.

Marcas de vestuário, por exemplo, comercializam roupas e sapatos digitais, que podem ser usados nos jogos para caracterizar os avatares ou contar pontos para cumprir determinadas tarefas. Isso é só um exemplo de uma tecnologia que tende a crescer à medida que o metaverso se popularizar.

A Jordan, uma das maiores empresas de roupas esportivas do mundo,  por exemplo, criou um tênis NFT em parceria com o Fortnite, o Air Jordan 1s. Veja abaixo o vídeo de divulgação.

Eventos e experiências

As marcas também podem promover eventos e experiências no metaverso. Já estão acontecendo shows, seminários ou visitas a lojas-conceito nas plataformas de games, que permitem aos jogadores vivenciarem uma experiência diferenciada.

Ao entrarem naquele contexto, as pessoas sequer percebem que aquilo é marketing de uma empresa, embora estejam imersas nas suas referências.

Principais benefícios do game marketing

Mas, afinal, o que as marcas ganham com o game marketing? Por que você deveria utilizar jogos eletrônicos nas suas estratégias de marketing? Vamos ver agora quais são os principais benefícios do marketing de jogos para a sua marca:

Engajamento e fidelização

Quando as pessoas estão jogando, elas ficam imersas no universo do game: nada mais em volta importa. Os jogos têm uma grande capacidade de engajamento dos jogadores, que se envolvem com a narrativa como se estivessem lá dentro.

Então, quando as marcas adentram esse universo, os jogadores também se envolvem com elas e se tornam potenciais clientes, com grandes chances de fidelização.

Identificação dos gamers com a marca

Nesse universo de games, os jogadores se identificam com determinados jogos e personagens, porque eles representam características e valores da sua personalidade.

Então, quando as marcas se inserem nos jogos, elas associam sua imagem a eles e tendem a conquistar também a identificação dos jogadores. Eles passam a reconhecer e valorizar aquela marca. O caso dos advergames é parecido: os jogadores podem se identificar com o jogo e, assim, se aproximar também da marca que o promoveu.

Divulgação não-intrusiva

As marcas podem conquistar o engajamento, o reconhecimento e a identificação dos jogadores. Mas, atenção, elas só alcançam esse status quando são relevantes para a experiência dos jogos. Se atrapalharem a experiência, com anúncios que interrompem algum momento do jogo, por exemplo, elas se tornam indesejadas.

Por isso, as marcas devem entender que não estão criando um anúncio para a TV. É necessário compreender como os jogos funcionam e aproveitar a sua narrativa, em vez de querer se impor nesse universo. Podemos dizer que essa também é uma forma de neuromarketing.

Vale a pena usar game marketing no seu negócio?

Como já deu para perceber, o game marketing traz diversos benefícios que se diferenciam da publicidade tradicional. Mas é interessante pensar se faz sentido para o seu negócio.

Primeiramente, analise o perfil de público-alvo que você quer atingir. Segundo a Pesquisa Game Brasil 2022, os usuários de games no país estão principalmente nas faixas etárias de 20 a 24 anos (25,5%) e de 16 a 19 anos (17,7%). Isso mostra que os jovens são maioria, mesmo que a pesquisa não tenha consultado menores de 16 anos.

Além disso, entenda a imagem de marca que você quer transmitir ao público. Geralmente a criação de jogos ou a inserção neles transmite uma imagem de descontração, já que você se associa a uma experiência de lazer e entretenimento para o público.

No caso dos eSports, muitas marcas estão de olho no público jovem, mas não exatamente na imagem de descontração. O que elas querem é se aproximar de um público que gosta de tecnologia — o que, muitas vezes, faz parte dos interesses de jogadores e espectadores desse tipo de esporte.

Como o game marketing pode ser aplicado? Veja alguns exemplos

Você já conheceu alguns formatos de game marketing e já pensou se pode aplicá-lo na sua marca, não é? Então, vamos ver agora alguns exemplos concretos de como essas estratégias são usadas pelas marcas.

Um exemplo de game marketing foi criado pela Ruffles, que lançou um novo posicionamento de marca com o game AmiGO. O jogo permitia que os usuários interagissem com seus amigos em qualquer lugar, a fim de transformar qualquer momento entediante em uma experiência divertida. A intenção da marca era se aproximar dos jovens e promover uma imagem divertida.

Outra exemplo de game marketing, dessa vez em eSports: a Intel promove o evento Intel Extreme Masters, que acontece em vários países do mundo, com torneios de StarCraft II, Counter-Strike: Global Offensive, League of Legends, Quake Live e Hearthstone: Heroes of Warcraft. Perceba como uma marca de tecnologia também quer se aproximar desse público.

Falando de metaverso, algumas marcas já estão promovendo experiências de realidade virtual. No Roblox, plataforma de jogos eletrônicos conhecida mundialmente, a Gucci criou uma instalação de arte que proporcionou aos usuários uma experiência de imersão no seu mundo. Os jogadores podiam também comprar itens digitais da marca, de tiragem limitada.

No Fortnite, Emicida foi o primeiro cantor brasileiro a fazer um show virtual na plataforma de games. O cantor se apresentou em 4 palcos diferentes e ainda lançou uma coleção de roupas em parceria com o Fortnite.

O game marketing como uma forma de Buzz Marketing

Nos exemplos acima, você percebemos como o game marketing é capaz de promover as marcas em portais de notícias e redes sociais. As ações costumam se aliar à tecnologia e ser cheias de criatividade. Por isso, o marketing de jogos também tem alto potencial de gerar buzz marketing.

O buzz marketing se refere ao tradicional boca a boca. Mas, na era digital, esse buzz ganha um enorme poder de divulgação espontânea, que aumenta exponencialmente a visibilidade da marca, dentro e fora dos jogos.

Então, aproveite agora para ler mais sobre buzz marketing e entender como colocar a sua marca entre os principais assuntos das redes!

Para te ajudar a colocar estratégias de game marketing dentro da sua empresa, a  Raccon.Monks conta com uma equipe completa de marketing que pode te ajudar com  estratégias integradas que melhor atendem ao seu público. Clique aqui para conhecer nosso trabalho.

Escrito por:

Gabriel Macedo Ribeiro

Especialista de Conteúdo na Raccoon, tetracampeã do prêmio de Melhor Agência de Marketing de Performance do Brasil pela ABComm (2015, 2016, 2017 e 2018) e melhor da América Latina no Google Premier Partner Awards.

Comentários