Gerir uma marca ecommerce não é uma tarefa fácil. Para garantir seu bom funcionamento e o Retorno do Investimento é preciso que os gestores estejam sempre atentos a uma série de elementos. 

Nesse processo, é comum acontecerem alguns erros de gerenciamento que impedem o e-commerce de conquistar todos os resultados esperados. Para te ajudar a evitar falhas na hora de gerir uma marca ecommerce, listamos neste artigo 6 erros de gestão de ecommerce que podem atrapalhar você na hora de ter mais lucros com seu negócio. 

Confira cada um deles:

1. Não utilizar as metatags e tags corretamente

Se você trabalha na área do marketing digital é provável que já tenha ouvido falar em  tags e metatags. Elas são essenciais para ajudar seu e-commerce a conquistar as melhores posições nas buscas orgânicas do Google. No entanto, qualquer erro no gerenciamento de cada um delas pode prejudicar toda a sua estratégia de SEO.

Para evitar algum dos erros de gerenciamento na tag e metatag, vamos te explicar como elas funcionam, para não ter problemas com sua estratégia SEO.

A tag “<title>”, por exemplo, deve ser o mais curta possível, pois, se extensa demais, prejudica a visualização dos resultados de busca e diminui o valor de suas palavras-chave.

Já a metatag tem uma particularidade: quando se vai fazer uma metatag, não é mais tão útil inserir as palavras-chave do seu negócio nela, por exemplo“<meta name=”keywords” content=”suas palavras chave”>. 

As metatags foram exploradas de maneira errada no passado e, hoje, o Google prefere verificar se as palavras-chave estão presentes no texto ao invés deste campo. Usá-las em sua loja virtual, portanto, só irá aumentar o tempo de carregamento da página, outro de alguns erros nos negócios ecommerce 

2. Deixar de lado as tags do Analytics

É importante  ficar de olho, também, nas tags do Analytics, especialmente se você investe em links patrocinados. É através dessas tags que você conseguirá acompanhar o resultado dos seus anúncios. Como? Elas analisam o que acontece depois do clique em algum link patrocinado.

Assim, se utilizadas corretamente, você poderá gerar relatórios e apurar com maior precisão os KPIs (Key Performance Indicators) que mais interessam ao seu negócio. Exemplos:

  • Saber quais palavras-chave, campanhas, anúncios e grupos de anúncios performam melhor;
  • Visualizar o seu retorno de investimento (ROI);
  • Utilizar melhor as estratégias de CPA (custo por aquisição), CPC (custo por clique), etc., para otimizar suas campanhas;
  • Acompanhar quando um cliente interage com seus anúncios, em um dispositivo diferente daquele que gerou a conversão (cross-device).

Portanto, fique de olho! Deixar de otimizar esses aspectos do seu e-commerce pode fazer com que você fique para trás em relação à concorrência, ou seja, estará cometendo um dos erros de gestão de ecommerce. Além disso, se você deixar de lado essas tags, provavelmente estará cometendo o terceiro dos seis erros de gestão de ecommerce do qual vamos falar.

3. Não usar um modelo de atribuição

Nem sempre seu cliente irá finalizar uma compra no primeiro momento em que acessa a página de produto em sua loja virtual. Na verdade, ele pode seguir diferentes caminhos até a conversão. Veja o exemplo abaixo:

Não deixe que os erros de gestão de ecommerce afetem seus clientes em uma compra e-commerce

Imagine que cada mídia é uma posição de um time de futebol. O usuário é a bola e ela tem que percorrer o campo inteiro para chegar à conversão (o gol). Mas, como no futebol, há inúmeras maneiras de isso acontecer. Cada passe, drible e jogada representa o que cada cliente irá fazer antes do gol, ou da conversão, acontecer.

Assim, quando deixamos de medir a atribuição, estamos dizendo que só importa quem faz o gol e não quem levou a bola até ele.  Como todos sabemos, em um time, todos têm seu papel e se não o executarem direito todos perdem juntos.

Um modelo de atribuição busca demonstrar todo o caminho que é percorrido pelo cliente, desde a visualização do anúncio até que ele finalize a compra em sua loja virtual.

Mas como e quanto atribuir de crédito a cada passo desse trajeto? É aí que entram os Modelos de Atribuição, que podem e devem ser adaptados a cada negócio de acordo com cada objetivo estratégico traçado.

Conhecer bem o caminho percorrido por seus clientes significa saber como melhor atuar para alcançá-los de maneira mais eficaz, com isso você se mantém o mais longe possível dos temidos erros de gestão de ecommerce. 

O Analytics oferece diferentes modelos de atribuição fáceis de serem utilizados e aptos à personalização, por isso, não deixe de olhá-los e de entendê-los, para sempre ter um caminho bem definido e, ao final, alcançar seu cliente da melhor forma.

4. Não ter suporte para dispositivos móveis

Atualmente, é impossível uma loja virtual ter sucesso sem garantir suporte para dispositivos mobile, como tablets e smartphones. 

Segundo dados da Nielsen, mais de 68 milhões de brasileiros acessam a internet através de seus aparelhos celulares.

Deixar de alcançar esse público é um dos maiores erros de gestão de ecommerce que você pode cometer ao gerir uma marca ecommerce. Portanto, invista na construção de um site responsivo e capaz de oferecer uma experiência de alto nível ao usuário.

Aliás, desde 2015 o Google aplicou uma punição aos sites não responsivos a dispositivos mobile: se o site não é responsivo, ele não será mostrado nos resultados de busca da plataforma. Isso, claro, é algo extremamente ruim para os e-commerces.

Garantindo que sua loja virtual funcione bem em qualquer dispositivo, você permite que um número maior de usuários consigam acessar (e consumir) os produtos de seu e-commerce sem dificuldades.

5. Não usar o BI para auxiliar a gestão da loja

Entenda exatamente como gerir uma marca ecommerce, para ficar longe dos erros de gestão de ecommerce e das baixas posições no Google.

Em um mercado altamente competitivo, ter informações sobre a sua área de atuação, sobre o público-alvo da sua empresa e sobre as métricas de desempenho relevantes para o seu negócio pode fazer toda a diferença para o sucesso de seu e-commerce.

Por isso, não usar o Business Intelligence (BI) para auxiliar no processo de tomada de decisão é um dos erros de gerenciamento que mais prejudicam o planejamento estratégico de seu negócio. 

O BI tem a vantagem de conseguir unir o Big Data e o Data Discovery em busca de uma melhor performance.

O Big Data baseia-se no conceito dos 4 Vs: volume, variedade, valor dos dados e velocidade nos processos. 

Já o Data Discovery, por sua vez, baseia-se em: visualização dos dados, descoberta de informações, identificação do grau de importância e análises preditivas.

Essa fórmula resulta numa plataforma de inteligência de dados que obtém os melhores resultados, contribuindo, assim, para a definição de estratégias mais versáteis e apuradas. Com isso, ficará muito mais fácil de conseguir:

  • um conhecimento aprofundado dos desejos e necessidades dos consumidores;
  • identificar os melhores canais para divulgação;
  • mapear detalhadamente a jornada de compra;
  • direcionar assertivamente novas estratégias, minimizando riscos e aumentando os resultados.

Investir em BI permitirá que você analise facilmente uma quantidade de dados maior, garantindo um melhor acompanhamento dos processos de negócio e reduzindo os erros na hora de tomar decisões importantes.

6. Não adotar estratégias Multi, Cross e Omni-Channel

A maioria dos e-commerces já deram os primeiros passos em estratégias cross e multi-device, e cross a multi-channel. No primeiro caso, se seu site é responsivo para diversos suportes (como tablets, smartphones, smartwatches, etc.) e, no segundo, se sua marca tem perfis em redes sociais, e/ou trabalha com plataforma de vídeos, e-mails e assim por diante, é muito provável que você já tenha começado essa caminhada.

De maneira simplificada, ser multi ou cross-channel é estar presente em diversos canais para alcançar seu público. Dizer que isso é importante é pouco: hoje, este tipo de abordagem é essencial, para evitar erros nos negócios ecommerce. 

Lembra do que falamos acima sobre a jornada do cliente e a importância de um modelo de atribuição?

Então, isso não é tudo. Não basta estar presente em diversos canais se seus serviços não são oferecidos de maneira integrada entre eles. Ou seja: não basta sua empresa atuar em diversos canais se não converter em nenhum deles.

Dessa forma, é possível integrar não somente seus canais, mas também seu e-commerce com uma loja física, por exemplo. Esse tipo de atuação é extremamente eficaz, pois seu alcance é infinitamente maior.

Portanto, se você possui, por exemplo, uma loja de tênis esportivos e iniciou há pouco um e-commerce com o mesmo enfoque, oferecer a opção do cliente de provar ou retirar o produto em sua loja física, juntamente com a possibilidade de pesquisar por preços e realizar pagamentos através do site, será uma estratégia Omni-Channel de sucesso. E esse, talvez, seja o diferencial que busca oferecer.

Diga adeus aos erros de gestão de ecommerce

Tendo em mente os principais erros de gestão de ecommerce que podem prejudicar sua loja virtual, você está mais preparado para conquistar os melhores resultados para o seu negócio!

Quer receber mais dicas para aumentar os lucros de sua loja virtual? Ou saber mais algumas maneiras de gestão de ecommerce? Siga nosso perfil no Facebook e LinkedIn e não perca nenhum conteúdo!