Ser eficiente usando métricas conservadoras ou ganhar mais dinheiro? Você sabe o que é mais importante para você e para o seu negócio?

A maioria dos varejistas digitais brasileiros ainda utiliza o ROI como métrica principal para acompanhar o sucesso de uma campanha, uma mentalidade tradicional no nosso mercado. O ROI continua sendo bastante importante, mas não deve mais ser a única métrica fundamental para o seu negócio e suas estratégias.

Diferentemente de anos atrás, hoje temos ferramentas, tecnologias e metodologias para irmos além nas estratégias e gestão de campanhas, para gerar muito mais resultados, receita e uma comunicação infinitamente mais personalizada e assertiva.

No artigo abaixo, abordaremos a importância das métricas de performance e a relação das empresas atuais com as métricas. Acompanhe!

Métricas: o que preciso saber sobre elas?

As métricas são números ou dados que indicam o sucesso das suas estratégias no digital e, por isso, são  essenciais para o acompanhamento do seu negócio. No entanto, é preciso ter cuidado no momento em que você for mensurá-las e repensar frequentemente sua relação com elas.

É fundamental que você perceba se as suas métricas são realmente assertivas ou se você está usando-as sem dados tangíveis. O número de seguidores de uma rede social não significa necessariamente o número de leads do seu negócio, por isso, não dê mais importância para essa métrica que para o seu ROI, por exemplo.

Abaixo, listamos as principais métricas para o seu negócio:

1- Métricas de conversão

  • Taxa de conversão;
  • Custo por Lead;
  • Taxa de rejeição;
  • Taxa de retorno;
  • Custo por visualização.

2-  Métricas para verificação de receita

  • ROI (Retorno sobre o investimento);
  • CAC (Custo por aquisição de clientes).

Para saber mais sobre cada uma delas, clique aqui.

Cenário atual das empresas em relação às métricas

É verdade que várias empresas acordaram para as diferentes ferramentas e metodologias para o uso das métricas nas campanhas. Entretanto, inevitavelmente, muitas outras ainda estão presas a práticas e conceitos ultrapassados. Por conta disso, essas empresas não estão aproveitando nem de longe todo seu potencial de vendas e resultados.

É importante que você compreenda se está utilizando conceitos e práticas ultrapassados ou se está por dentro das inovações sobre as métricas de performance. Então, em qual cenário sua empresa está?

Cenário 1: ROI, ROI e ROI

Nesse cenário,  a empresa pode até possuir operação on e off bem estruturadas, por exemplo: lojas físicas e e-commerce ativo. Porém, essas operações trabalham visivelmente como concorrentes umas das outras.

Além disso, visam somente o ROI e acabam sacrificando receita e lucro, ao ignorarem métricas-chave como: margem de lucro dos produtos, lifetime value dos consumidores, potencial de cross selling, número de leads em sua base, etc.

Resultado: o ROI pode até ser alto, mas, definitivamente, estão muito longe de aproveitar todo o seu potencial de geração de receita, lucro e resultados, ao optarem por uma perspectiva na qual não se enxerga um contexto muito mais macro do que a otimização de campanhas visando a melhoria de uma métrica somente.

Cenário 2: Mais que ROI, mas ainda cego

Neste, a empresa já sabe que deve olhar e trabalhar outras estratégias, e, dessa forma, também olhar outras métricas, o que pode reduzir o ROI à princípio. Porém, essa empresa ainda visa outras vantagens, como aumento no volume de cliques e vendas de produtos de margem maior, que vão compensar financeiramente a provável queda do ROI.

Em termos mais práticos, já há o trabalho de estratégias que buscam, por exemplo, captar leads e nutri-los para aumentar a recompra e o ticket médio, analisar a margem de lucro e potencial de receita dos produtos para otimizar campanhas e planos de mídia, etc, porém, ainda estamos falando de um panorama onde on e off ainda não se conversam de forma adequada.

Nessa empresa, ainda há uma uma gestão fragmentada, onde a loja física e e-commerce usam diferentes mídias, atingem diferentes potenciais compradores – em momento de compra bem distintos – e possuem diferentes metas, o que acarreta numa dificuldade de retenção, de aumento do ticket médio, alto custo de aquisição e uma baixa experiência do usuário.

Cenário 3 – No caminho certo: gestão integrada

Nessa imagem, temos uma comparação de uma gestão fragmentada com uma gestão O2O ou gestão integrada. Perceba que a loja física funciona e trabalha como mais um touchpoint do consumidor com a sua marca e não mais somente como um local de compra de mercadorias.

Nesse cenário, a experiência do usuário é muito mais fluída, sem atritos e fricções, e as vantagens são inúmeras: aumento do LTV, do ticket médio, aumento da fidelização do cliente a partir da experiência com a marca, etc.

E então? Consegue dizer onde a sua empresa está atualmente? Analisando esses cenários, é possível compreender as diferentes formas de usar as métricas no marketing digital e, assim, repensar as formas como sua empresa está lidando com a gestão e as estratégias de vendas.

Lembre-se que somente com as métricas é possível que você formule estratégias assertivas e que correspondam ao seu nível de investimento e interesse de seu público-alvo.

Gostou do artigo? Continue aprendendo e saiba mais sobre as estratégias que você precisa utilizar no marketing digital para não ficar para trás!