Em um mundo hiperconectado como o que vivemos, os dados são matéria prima do trabalho de muitas empresas e as informações são cada dia mais valiosas. Por isso, garantir a segurança da informação nas empresas deve ser um dos pilares de qualquer negócio.

Neste momento de isolamento social em que muitas empresas passaram a trabalhar em um modelo de teletrabalho, a flexibilização do home office pode abrir brechas. Portanto, mais do que nunca, é importante se preocupar com a segurança de dados.

Se você quer saber como garantir a segurança da informação em seu negócio, confira nosso conteúdo e veja as principais recomendações para manter seus dados seguros.

O que é segurança da informação nas empresas?

Segurança da informação nas empresas nada mais é que um conjunto de boas práticas que tem como objetivo principal manter seus dados protegidos. Em uma empresa, manter certas informações em sigilo é imprescindível, sejam elas referentes a própria organização ou aos clientes.

O intuito dessas boas práticas é garantir alguns princípios básicos, como a confidencialidade e a integridade das informações e de seus métodos de processamento. 

Vamos passar rapidamente por cada um desses princípios:

  • Confidencialidade: Este princípio garante que as informações sejam encontradas apenas por pessoas autorizadas, impedindo a exposição de dados. Uma forma de garantir a confidencialidade é armazenar documentos com o uso do G Suite, onde você pode restringir o acesso e a edição apenas as pessoas autorizadas.
  • Integridade: Aqui, o objetivo é que os arquivos não sofram danos e estejam protegidos de falhas técnicas. Um exemplo de medida que garante a integridade é o backup.
  • Disponibilidade: Os dados devem estar disponíveis às pessoas autorizadas sempre que necessário, sendo de fácil acesso e estando organizados. O G-Suite é uma boa opção para garantir esse princípio também!
  • Autenticidade: As informações só devem ser alteradas de acordo com determinadas permissões, de forma a evitar que os dados sejam corrompidos.
  • Irretratabilidade: A autoria de uma transação não pode ser negada ou oculta.
  • Conformidade: Todos os processos devem ser realizados dentro das leis e normas vigentes.

A importância da segurança da informação nas empresas

A importância da segurança da informação nas empresas é que essas práticas garantem a proteção contra invasores externos e comprometimento de dados internos. Evitar falhas de segurança é essencial para a reputação de uma empresa!

Uma invasão no sistema de sua empresa pode não só afetar a confiança de seus parceiros e clientes, como também custar caro! Se informações pessoais de clientes forem perdidas, a empresa terá que responder por isso.

“Vale mencionar que não necessariamente a empresa será alvo de invasão”, explica Alicia Dias, Solution Engineer da Raccoon. “Uma falha de segurança por parte de um funcionário pode fazer com que dados vazem rapidamente ou até mesmo gerar gastos absurdos.”

Segundo ela, é muito mais fácil hackear pessoas físicas do que um sistema empresarial. “Uma prática muito comum é a “hacking data mining”, onde várias pessoas têm suas contas hackeadas e depois esses dados são minerados para ver se alguma delas possui algum cargo de interesse em um local alvo. Dessa forma, a pessoa física é usada como chave de acesso a esse local, que é hackeado sem nunca ter sido realmente acessado.”

LGPD

Perder credibilidade é apenas um dos problemas que você pode enfrentar se os dados com os quais sua empresa trabalha não estiverem devidamente protegidos. Segundo o princípio de conformidade da segurança da informação nas empresas, é preciso seguir as leis e normas vigentes no armazenamento e processamento de dados.

Nesse sentido, a LGPD é uma novidade que está dando o que falar no mundo corporativo.

A Lei Geral de Proteção de Dados do Brasil foi sancionada em agosto de 2018 e, desde então, a data em que entrará em vigor já foi alterada algumas vezes, visto a necessidade de um período de adaptação por parte das empresas e as dificuldades encontradas durante a pandemia do coronavírus.

A LGPD tem como objetivo regulamentar o uso de dados por empresas e organizações, criando instruções e normas sobre coleta, armazenamento, tratamento e compartilhamento de dados pessoais, a fim de garantir segurança e privacidade.

Vale destacar que a lei tem dois princípios motrizes: o consentimento e o legítimo interesse por parte do controlador (o responsável pela coleta e tratamento dos dados). Ou seja, está em conformidade com os pilares já citados para garantir segurança da informação nas empresas.

Se sua empresa ainda não está pensando em alternativas para se adaptar a LGPD, sugerimos que faça uma pesquisa profunda sobre o assunto!

Como garantir a segurança da informação nas empresas

O primeiro passo para garantir a segurança da informação nas empresas é a conscientização dos funcionários. Segundo Alicia, “Segurança na rede tem que ser uma coisa coletiva. Um elo fraco pode quebrar tudo!”.

Por isso, listamos neste post algumas recomendações para manter seus dados protegidos.

É importante lembrar que, quando falamos do mundo virtual, é impossível garantir 100% de segurança. Rubens Carlos Giro Junior, responsável pela segurança dos computadores da Raccoon, afirma que “A internet é onipresente e sempre há meios de chegar a algum lugar. Sempre há brechas”.

Ter essa consciência é essencial para se manter protegido. Afinal, dessa forma você se mantém sempre atualizado, tendo esforços constantes com o objetivo de proteger o máximo possível sua empresa.

Uma coisa é fato: com tantos dados expostos por falta de cuidado, os ataques se direcionam aquilo que dê menos trabalho. Assim, seguindo as nossas dicas e criando várias camadas de proteção, você provavelmente estará fora das estatísticas de risco.

Conscientize sua equipe

Como dissemos, o primeiro passo é conscientizar sua equipe. Afinal, boa parte das boas práticas vão depender de hábitos e práticas dos funcionários. Sem que eles se comprometam com o processo, é impossível manter sua empresa segura, por maiores que sejam os esforços administrativos para isso.

Separamos alguns pontos principais para você focar quando for conversar com o seu time:

1. Senhas

Às vezes escolhidas sem muito critério, boas senhas são um importante passo para garantir a segurança de informações.

As senhas são a principal forma de se proteger em um mundo online hiperconectado – afinal, elas foram criadas para isso! O problema é que nem todo mundo segue as boas práticas recomendadas na criação e administração de suas senhas, deixando uma porta de fácil acesso para invasores.

Embora alguns sites exijam um nível de complexidade mínimo em suas senhas, a maioria não faz isso. O resultado pode caminhar em algumas direções: a criação de uma senha simples e fácil de ser descoberta; a criação de uma senha extremamente complicada e difícil de lembrar; ou a reutilização de uma senha já existente.

Quando pensamos em senhas simples, o risco é de invasão. E não estamos falando apenas das senhas com datas de aniversário ou o famoso “password123”. Leve em consideração que quem vai tentar descobrir a sua senha não é uma pessoa, mas um programa feito por uma pessoa, capaz de testar várias das senhas mais comuns e até supor combinações lógicas.

No segundo caso, senhas complexas correm grande risco de serem esquecidas. O que é um problema tão grande quanto o que descrevemos acima, afinal, você precisa ser capaz de acessar suas contas quando precisar – especialmente em uma empresa.

O terceiro caso parece menos arriscado, mas não se engane! Ao reutilizar senhas, é só acessar um único site malicioso e você corre risco de perder uma série de contas

É assim que normalmente ocorre a prática de phishing: um link ou download malicioso pode conseguir as senhas de milhares de pessoas e lançar a isca dizendo que, agora, tem acesso a todas as suas contas. E, se você usa a mesma senha para todas as suas contas, é provável que tenha mesmo!

Caso você venha a ser vítima de um golpe como esse, é importante manter em mente que essa mesma isca foi lançada para milhares de outras pessoas. Marque a mensagem como spam, fortifique seus sistemas de segurança e troque todas as suas senhas.

Mas, então, se não adianta usar senhas simples, não adianta usar senhas complicadas, e não adianta reutilizar as mesmas senhas… Como criar senhas seguras afinal de contas?

A dica dada por Alicia é seguir sempre o mesmo padrão lógico, que faça sentido para você, mas não para uma máquina. Se você utilizar uma senha como “oitudobem”, um computador é capaz de supor que, depois de um “oi” vem um “tudo bem”. Mas, se você criar uma senha como “paredelasanha22”, um computador não é capaz de prever esse padrão.

A partir daí é só reutilizar esse padrão nas outras senhas. Seguindo com nosso exemplo, a segunda senha criada seria algo como “tetomanteiga23” ou mesmo “paredemanteiga22”. Você pode alterar os elementos de seu padrão de uma forma que faça sentido para cada conta.

Uma outra dica importante é trocar suas senhas regularmente! Isso evita casos de phishing, por exemplo. 

Por fim, mas não menos importante, a verificação em duas etapas deve ser ativada. Assim, você coloca uma camada a mais de dificuldade entre o acesso à sua conta e um invasor.

2. Manter as atualizações do Windows e do antivírus em dia

Manter as atualizações do Windows em dia parece uma coisa boba, mas não é! Essas atualizações são feitas de acordo com novas ameaças ao sistema detectadas e trazem, portanto, novas proteções.

Da mesma forma, se o computador tem um antivírus, é importante mantê-lo atualizado. As versões pagas, normalmente, têm atualizações mais rápidas.

Elas não são 100% seguras, claro. Mas, quando falamos em segurança da informação nas empresas é importante criar o máximo de camadas possíveis. E essa parece ser uma prática bem simples, não?

3. Cuidado com sites, links e downloads maliciosos

Boa parte dos ataques não são feitos pelas senhas, mas a partir de sites, links e downloads maliciosos. Instrua sua equipe a sempre ficar atenta à segurança durante sua navegação online.

Além de ser crime, downloads “piratas” são fonte de muitos dos ataques cibernéticos.

4. Outras dicas

Instrua sua equipe a evitar utilizar redes públicas, porque elas são as menos seguras e deixam portas abertas de fácil acesso a invasores.

Além disso, é importante evitar ao máximo que pendrives de outras pessoas sejam conectados ao seu computador. Além dos chamados “vírus físicos”, o pendrive pode estar infectado sem que seu dono saiba disso.

Quando o pendrive é, por exemplo, de clientes ou parceiros importantes para o negócio, você provavelmente não vai poder negar o acesso. Nesses casos, passe o antivírus logo em seguida

Crie políticas empresariais seguras

Dentre as ações de empresas para proteger dados, o armazenamento na nuvem vem se mostrando uma boa medida.

Embora o usuário seja a principal fonte de proteção para o computador e suas contas, existem algumas boas práticas que podem ser realizadas para aumentar a segurança da informação nas empresas.

1. Uso de e-mail corporativo

A política mais simples de segurança da informação nas empresas é o uso de contas de e-mail corporativo. Com essas contas, todos os dados e informações da empresa que acabam passando de funcionário para funcionário ficam mais seguras e podem ser acessadas por um administrador autorizado, caso necessário.

Além disso, é importante conscientizar a equipe de utilizar o e-mail corporativo apenas para uso profissional, evitando criar contas pessoais com ele ou realizar compras.

2. Armazenamento na nuvem

Quando estamos falando sobre segurança da informação nas empresas, é preciso manter em mente que os dados precisam estar disponíveis aos funcionários autorizados sempre que necessário, sendo de fácil acesso. Por isso, ter uma política de armazenamento de informações na nuvem é tão importante!

Além disso, com essa política, você protege os dados de sua empresa de danos físicos e mantém todas as informações organizadas, o que acaba facilitando vários processos internos.

3. Uso de uma ferramenta como o G Suite

O uso de uma ferramenta como o G Suite é especialmente útil para a segurança da informação nas empresas. Como esse é um recurso feito especialmente para a produtividade e colaboração empresarial, ele é praticamente indispensável.

Com ferramentas para comunicação, armazenamento, colaboração e até administração, o G Suite garante que todas essas etapas sejam armazenadas na nuvem de forma colaborativa e segura, dando acesso às pessoas autorizadas. 

4. Senha de administrador

Caso os funcionários tenham um computador empresarial, é interessante que ele tenha uma senha de administrador cujo acesso apenas pessoas autorizadas (como o responsável pela segurança da informação) tenham.

Com essa senha, os executáveis de downloads podem ser bloqueados, evitando que arquivos não autorizados sejam instalados. Dessa forma, você cria mais uma camada de proteção contra invasores e outros ataques cibernéticos.

Como dissemos, garantir a segurança da informação nas empresas é um processo contínuo que depende da colaboração de toda a equipe

Os dados em um mundo hiperconectado nunca ficarão 100% seguros, mas você pode proteger sua empresa adicionando camadas de proteção e conscientizando sua equipe, de forma a diminuir seus riscos!

Quer mais dicas como essa? Acesse nosso blog!